Um projeto, muita satisfação a cada ano

Hoje tive o prazer, junto com meus colegas, de entregar mais uma edição do CWITestTalks, já chegamos a 7ª edição em 6 anos deste projeto que tem como objetivo fomentar o relacionamento, incentivar a troca de conhecimentos e disseminar informações e cases relacionados a Qualidade de Software.

Para o evento de hoje a grade foi composta por palestras conceituais, hands-on de automação, dicas para desenvolvimento e dicas de desenvolvedores, métricas, virtualização e performance.

Abrindo os trabalhos tivemos a Patrícia Gonçalves @patiaragon apresentou “Os Pilares do Agile Testing”, trazendo todo o contexto dos Testes Ágeis, quadrantes, o manifesto e os princípios do testador ágil.

Na sequência, Max Cruz @max_dacruz nos trouxe uma série de dicas e artifícios para facilitar a automação de testes, principalmente mostrando um bom relacionamento entre desenvolvedores e testadores. Nesta palestra, pra mim, foi muito interessante uma das dicas onde ele sugera a utilização de classes padronizadas de CSS com BEM – Block Element Modifier, com isto facilita para iniciarmos a automação de UI mesmo não tendo tela desenvolvida. Inclusive já intimamos uma galera para seguir um evento específico para tratar sobre o “BEM”. 🙂

A próxima a compartilhar seus conhecimentos foi a Kamilla Queiroz @mihqueiroz, com todo o seu pique nos apresentou DevOps na visão do QA.

Lucas Kauer @why_kauer , denominou sua palestra como “Operação Segurança Máxima – O Feedback do seu desenvolvimento #unitTest” e nos trouxe muitos assuntos sobre Testes Unitários, boas práticas, Green/Red/Refactor, TDD e muitas dicas para garantirmos a qualidade no desenvolvimento de software.

Como é bom conhecer o desconhecido, como é bom se surpreender com o que está sendo feito no projeto ao lado. Fiquei muito empolgado e interessado nas estratégias de testes de software embarcado que o Augusto Lenz nos apresentou. Muitos conceitos de agilidade sendo praticados.

Daiane Fraga e Euller Lisowski apresentaram um case de utilização do Watir para automação de testes de interface em Ruby, inclusive com planos para utilização de Docker em breve no projeto.

Já viu automação de testes para código de barras? Pois é, Samuel Lucas @samlucax além de mostrar o conceito, fez um hands-on para demonstrar. Animal!!! Zebra neste caso…. “Zebra Crossing API – Validação de Código de Barras com Java e Cucumber”.

José Ernesto, o Zé, nos mostrou como a virtualização dos serviços pode agilizar os processos de desenvolvimento e testes. O recado é: Não deixe de testar pelo fato de não ter a integração disponível, inclusive antecipe o máximo dos seus cenários.

Robson Bittencourt @rluizv apresentou a ferramenta e bateu um papo bem interessante com o público sobre Métricas de Software com Sonarqube, contou um pouco das suas experiências, deu dicas para como atacar os “problemas” que aparecem e falamos um pouco também sobre a iniciativa que existe no Núcleo de Tecnologia da CWI com relação a Maturidade de Software e utilização do Sonarqube em praticamente todos os projetos da empresa.

Para fechar a tarde, um pouquinho, ou melhor – a carga necessária de testes de performance, Bruno Hoffmeister, nos presenteou com uma apresentação bem esclarecedora sobre testes de performance de back-end e front-end, o que nos dá uma visão 360 das nossas aplicações web.

Realmente fiquei muito satisfeito com todo o material gerado, as apresentações realizadas, o público presente, as participações e questionamentos, as experiências compartilhadas e os resultados obtidos.

É assim que fazemos uma comunidade forte!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s